O futuro da moda sustentável

várias garrafas de plástico usadas
Fonte: Pexels

Nos últimos anos, diversos estudos atentaram para o potencial destrutivo da indústria têxtil e de vestiário, chamando a atenção para os números alarmantes desse setor. De acordo com um levantamento da WWF Suíça, por exemplo, a indústria emite uma média de 1,7 bilhão de toneladas de dióxido de carbono por ano, além de consumir uma quantidade abusiva de água em seu processo produtivo e descarregar cerca de 2 bilhões de resíduos no meio ambiente a cada doze meses.

Paralelamente, o consumo no mercado da moda também está cada vez maior e mais indiscriminado, o que pode causar um aumento gradativo nas toneladas de poluentes e de lixo produzidos nesse meio. 

Para contornar esse cenário preocupante, o conceito de moda sustentável ganhou destaque recentemente, defendendo questões como a reestruturação da cadeia produtiva na indústria têxtil, a introdução de tecidos e materiais ecológicos, a redução na emissão de poluentes e o fim do desperdício, por exemplo. Apesar de ainda ser um conceito relativamente novo, a moda sustentável já tem demonstrado a sua capacidade de revolucionar a indústria e está conquistando cada vez mais espaço nesse setor.

Como descobrir quais marcas são sustentáveis

mulher observando araras de roupas em loja
Fonte: Pexels

Com praticamente tudo sendo feito através dos smartphones, desde assistir séries, conversar via chamada de vídeo com os amigos e até mesmo se divertir em cassinos online para celular, a maneira mais eficiente encontrada para conscientizar os consumidores sobre que marcas são sustentáveis, foi por meio de aplicativos para dispositivos móveis, como é o caso do Good On You e o DoneGood.

Com base em diversos fatores éticos, que além da sustentabilidade também consideram questões como o uso de trabalho escravo e testes em animais, esses aplicativos concedem notas para as marcas, permitindo que o público identifique facilmente quais companhias estão realmente levando a sério o conceito de moda sustentável. No caso do Good On You, o aplicativo ainda divulga guias e artigos sobre o tema, explicando um pouco mais sobre as novas tecnologias eco-friendly que estão sendo adotadas na indústria têxtil e de vestuário.

Incorporação do plástico

cabides de roupas em loja
Fonte: Pexels

O plástico, devido a sua condição como um dos materiais mais nocivos ao meio ambiente, é um dos itens que tem sido incorporados de forma contínua pela moda sustentável. Diversas marcas, como as gigantes Adidas e H&M, já estão lançando coleções com peças feitas a partir de plástico reciclado. A Timberland, por exemplo, tem um projeto com foco em recuperar garrafinhas de água despejadas no meio ambiente, enquanto a Outerknown, marca do surfista Kelly Slater, procura reaproveitar todos os tipos de dejetos encontrados nos oceanos na produção de suas roupas.

No caso específico do plástico, após ser derretido e reciclado, esse material pode ser utilizado na produção de vários itens diferentes, como calças de yoga, jaquetas e calçados. Seja com o intuito de se tornar mais sustentável ou para aderir a demanda de parte dos clientes, que estão adotando hábitos de consumo mais conscientes, a estimativa é de que, somente nos Estados Unidos, mais de 250 marcas já estejam substituindo o uso do plástico descartável por material reciclado.

Novas marcas apostando em um viés sustentável

pessoa recolhendo garrafas plásticas usadas
Fonte: Pexels

Além das empresas tradicionais do ramo da moda que estão adotando práticas sustentáveis, também existem novas marcas surgindo com base nesse conceito a favor do meio ambiente. Uma delas é a Everlane, uma grife minimalista fundada por Michael Preysman, um empresário que se preocupa ativamente com a poluição dos oceanos e o impacto que esse problema exerce na existência das espécies marinhas.

Ao lançar a sua primeira coleção de jeans, a Everlane buscou adaptar cada etapa do processo produtivo, reduzindo o uso de água e a emissão de dejetos, como componentes químicos e corantes, no meio ambiente. Meses depois, ao expandir sua linha de roupas e iniciar a fabricação de camisas de seda, a marca novamente se desafiou a utilizar somente um tipo especial de seda, que não possui nenhum corante tóxico em sua composição. 

O uso de plástico reciclado também faz parte do cotidiano da marca, que recentemente lançou uma coleção de casacos e roupas de frio chamada de “ReNew”, a qual recuperou mais de três milhões de garrafas plásticas em praias e aterros sanitários, reutilizando as mesmas para a criação de tecidos sintéticos. De agora em diante, o próximo passo da Everlane, de acordo com o próprio criador da marca, é conseguir adotar matérias primas feitas somente a partir de água reutilizada.